segunda-feira, 21 de março de 2011

Pequena tradução ainda sem revisão...

Enquanto prepare nova crônica, vai este pequeno trabalho:

Eu acordo no meio da noite e me pergunto se já te levaram.

de Sandra Cisneros


A qualquer momento, os soldados podem chegar.
A qualquer segundo, Sarajevo pode render-se.
Como também podemos abrir mão do incômodo de sobreviver.

A qualquer momento, esse exato segundo pode acabar contigo.
A qualquer momento decisivo, Deus pode não dar a mínima.
Você está lá, naquela cidade. Você não importa. Você não é história.

Eu na minha cama com edredom e lençóis antigos,
E ao lado, um altar de Buddhas e Madres Dolorosas
renda fina e espelhos de Storyville,
Estou aqui. Acordei de um pesadelo.

Eu como você sou mulher.
Tampouco importo –
Nada que eu diga
Nada que eu faça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário