sábado, 15 de outubro de 2011

Versão!

ANNA MARIE (fragmento do poema, My Name is Woman)

de ruth weiss, poeta beat...

descalça no inverno. na cidade. no inverno do meio oeste americano. tenho sete anos.os dedos do meu pé sentem frio. é tanto o frio que não conseguem me contar as histórias que me sustentam até o verão. o sangue nos meus dedos me conta todas as velhas histórias. as histórias que me dizem que sou cigana.

minha mãe me diz que não é verdade. de onde você sacou essa idéia que você é cigana. os ciganos roubam e inventam mentiras sobre o futuro. de onde você sacou essa idéia, que você é cigana.

é inverno. o frio nos dedos do pé sobe até as pontas dos dedos das mãos, e eu digo aos dedos do pé. não se preocupem. eu sou cigana. eu encontrarei sapatos para os aquecer. para que continuem me contando suas histórias.

num prédio onde mora muita gente eu olho para as galochas ao lado das portas. um par preto trás outro não são meus eu continuo andando pelos corredores, um par vermelho grita, prove-me. e fica bem, quase. mas eu prefiro minhas sandálias. aquelas que comprei numa loja, muitos anos mais tarde.

estou olhando pra meus dedos do pé, nas minhas sandálias onde eu sento do lado de uma árvore sequóia anciã para que não a derrubem com uma serra elétrica. e meus dedos me contam a história da sequóia. e do sobreviver.


versão: miriam adelman

Nenhum comentário:

Postar um comentário