quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Novo poema, nova tradução

Um poema que escrevi hoje, em inglês, e em seguida traduzi. Acho que ficou melhor em português...será?

Fábula

He wanted to have it all:
the round baskets of plenty,
smooth-legged women, a daughter’s
trust. To drink from the river
always where the water was
sweet and fresh. To give
openly his warmth
wherever and whenever
he wanted.
To hurt no one?

There were girls
waiting at every bend
in the river
with flowers, with shining
teeth.
No time to waste.
No reason to linger too long
in any grove.
Tomorrow would always come again:
a red sun, the darkened hollow
of the heart.


Fábula

Ele queria tudo:
as redondas cestas da abundância.
as mulheres de pernas macias, a confiança
de uma filha. Beber sempre
no lugar onde a água era mais
fresca, mais doce. Dar livremente
seu calor, em qualquer lugar
a qualquer hora.
Não magoar ninguém?

Havia garotas
esperando em cada curva
do rio, esperando com flores,
com dentes que brilhavam.
Não havia tempo a perder.
Nem motivos para vacilar
muito tempo em algum
arvoredo.
O amanhã sempre viria:
um sol vermelho,
a escurecida cova
do coração.

2 comentários:

  1. Geralmente eu prefiro poesias e músicas em inglês, não sei, acho que soam meio estranhas em portugês, meio 'mundanas' demais...

    Gosto da sonoridade em inglês, da maneira como as palavras deslizam e se encontram... de frases do tipo "To give openly his warmth wherever and whenever he wanted" e "Tomorrow would always come again: a red sun, the darkened hollow of the heart"...

    E parabéns, continue escrevendo, sempre... Não só "tecnicalidades" da área de Sociais, mas também as poesis! ;o)

    ResponderExcluir
  2. Anônimo2/19/2009

    Obrigada Laura!

    ResponderExcluir